HÁ 50 ANOS – Acontecimentos de Jun 63

 

03/06/63 – Morre o Papa João XXIII.

 

                     Líderes políticos na Câmara Federal acusam extremistas de tentarem isolar o Presidente da República.

 

04/06/63 – Generais desagravam o Ministro da Guerra, Amauri Kruel, durante conferência de San Tiago Dantas no Instituto Militar de Engenharia (IME), em que explicava as razões da possível compra pelo governo de concessionárias da “American Foreigner Power”. Dias antes, Leonel Brizola, em programa de TV pago pela Agência Nacional, acusara o Ministro de principal interessado na transação, chamando-o de “vendilhão da pátria”.

 

05/06/63 – Aos quinhentos líderes sindicais que o procuram na Granja do Torto, em Brasília, com memorial afirmando que “o dispositivo de greve geral está pronto para ser usado a qualquer momento”, o Presidente Goulart responde que “O Brasil e o Governo, no momento, estão interessados apenas em tranquilidade e confiança no Congresso Nacional”.

 

                     O porto de Santos é ocupado por tropas do Exército e da Aeronáutica que garantem a integridade das instalações portuárias e a liberdade de ação para quem quiser trabalhar, apesar da greve pela “admissão de bagrinhos”.

 

                     CGT invade a Câmara Federal, realizando comício no saguão, sob a liderança dos deputados Benedito Cerqueira e Demitóclides Batista, clamndo por reformas de base.

 

06/06/63 – Sublevação do Corpo de Bombeiros da Guanabara, face à prisão do diretor da Associação de Soldados e Cabos, que lançara manifesto político reivindicando aumento salarial. Tropa não se reúne no pátio do quartel e o Governador Carlos Lacerda é obrigado a falar aos soldados dispersos, dominando a crise.

 

                     Expulsos os invasores da Fazenda de Cachoeirinha e do sítio Santa Amélia, em Magé.

 

                     Cinquenta mil estivadores de vários portos do país param, em solidariedade aos grevistas do porto de Santos, no momento em que estes cessam o seu movimento.

 

                     No Senado, San Tiago Dantas diz que “sem empréstimo compulsório o País voltará à inflação”, justificando assim o que levara o Governo a introduzir um item específico no projeto de ajuste salarial do funcionalismo público.

 

07/06/63 – O Departamento de Estado norte-americano, através do Secretário Adjunto, Edwii Martins, diz que “não há comunistas no governo brasileiro”, ratificando protesto do Itamarati que negara este tipo de acusação publicada na imprensa doa EUA.

 

13/06/63 – David Vasconcelos de Miranda, o “Dr. Barbudo”, líder dos lavradores que invadiram a Fazenda Paraíso, no Parque Estoria, em Nova Iguaçu, morre em choque com a polícia e é identificado como o procurado marginal “Navalhinha”.

 

                     Assumem os novos Ministros Militares: Jair Dantas Ribeiro (Guerra), Sílvio Mota (Marinha) e Anísio Botelho (Aeronáutica), pedindo “coesão e apoio para a restauração da ordem”.

 

15/06/63 – Deixa o Ministério da Fazenda o Ministro San Tiago Dantas e apesar de seu programa ter ficado inacabado, seu nome cresceu no conceito e na admiração de todos os brasileiros.

13 - Jun 01

 

17/06/63 – Escolhidos os novos Ministros: Deputados Abelardo Jurema (Justiça), Paulo de Tarso (Educação), Oliveira Brito (Minas e Energias); Evandro Lins e Silva (Relações Exteriores), Amauri Silva (Trabalho) e Carvalho Pinto (Fazenda).

 

18/06/63 – Leonel Brizola reúne o PTB e ameaça romper com o partido caso o Ministro Carvalho Pinto seja confirmado na Fazenda, o que acontece sem que o deputado cumpra a promessa.

 

                     Aprovado regime de urgência para a votação de reforma agrária do Senador Milton Campos através de lei ordinária, que dispensa reforma da Constituição. O projeto já tivera parecer favorável do Senado e da Comissão de Justiça da Câmara Federal.

 

                     Dissolução do bloco de pequenos partidos liderados pelo PDC, na Câmara Federal, dá margem ao aparecimento de novo bloco de reforço à oposição, encabeçado pelo PSP.

 

                     Cardeal-Arcebispo de Milão, Giovan Montini, é eleito novo pontífice e adota o nome de Paulo VI.

 

                     Completado o Ministério presidencialista: Wilson Fadul (Saúde), Oswaldo Lima Filho (Agricultura) e Expedito Machado (Aviação).

 

                     Dois mil homens armados invadem as fazendas São Lourenço, Penha, Chapéu do Sol, Piranema, Caixão, Tinguá e Nova Aurora, em Capivari, distante 25 km de Caxias, estado do Rio de Janeiro. Movimento é liderado pelo falso padre Aníbal Mendes e tem como pretexto a expulsão de lavradores de terras da FNM, quando construíram barracos.

 

23/06/63 – Em São Paulo, Carlos Lacerda faz pronunciamento acusando o Palácio Alvorada de “comandar as greves no País, especialmente na Guanabara”.

 

26/06/63 – Na Câmara Federal, Leonel Brizola rebate acusações de João Calmon sobre sua reforma agrária “particular” e afirma que sairá pelo Brasil para denunciar ao povo que “Congresso nada faz ou pretende fazer”.

 

27/06/63 – João Goulart parte para Roma para assistir a coroação de Paulo VI.

 

                     Editorial da revista francesa “Leste-Oeste” afirma que “comunistas dominam CGT e agem sem limites no Brasil”.

 

28-06-63 – O jornal “A Noite”, do Rio de Janeiro, alerta em sua manchete que existe uma conspiração contra a democracia em andamento.

14 - Jun 02

 

            


Sede Central
Av. Rio Branco 251 - Centro
Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 3125-8383
Sede Lagoa
Rua Jardim Botânico 391 - Jrd. Botânico
Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2197-8888
Sede Cabo Frio
Av. dos Astros 291 - Praia do Foguete
Cabo Frio/RJ - Tel.: (22) 2643-3537

Slider by webdesign