REFLEXÕES SOBRE A PREVIDÊNCIA DOS MILITARES

REFLEXÕES SOBRE A PREVIDÊNCIA DOS MILITARES

General Roberto Maciel Santos e

Coronel José Antônio Bordeira

28 de fevereiro de 2019

Assistimos à Renata Lo Prete, no Painel de 25/02/19, na Globonews, entrevistando Paulo Tafner, um dos formuladores da proposta da Previdência, e o assunto eram os militares. O entrevistado, sobriamente, disse, em outros termos, que ainda há muito preconceito contra os militares em certos extratos, por conta das brasas já quase apagadas, mas ainda quentes, acesas nos idos de 1964. A aposentadoria, aparentemente “precoce”, é quase uma necessidade pelas peculiaridades da profissão. A higidez e o bom desempenho físico são atributos essenciais às atividades de Defesa; o plano de carreira impõe aos militares muitas transferências ao longo dos seus 30, 35 anos de serviço, com consequências nem sempre positivas na educação, na vida familiar e social, particularmente dos filhos. Se nos permitem um pouco de romantismo, quantas amizades e amores ficam para trás… A estrutura piramidal da carreira, por outro lado, recomenda que o topo abra espaços para os escalões intermediários, possibilitando a sua ascensão, e assim  evitando congestionamentos que comprometam a saudável renovação dos quadros. Diante dessas peculiaridades, sugere Tafner, deve, o militar, retirar-se mais cedo do serviço ativo, com vencimentos proporcionais ao tempo de serviço. O caso de Israel nos idos de 1995 é esclarecedor. Lá os quadros permanentes eram menores e na passagem para a reserva perdiam algo como 20% dos vencimentos. Todavia, o militar retirado recebia um salário por cada ano de serviço, algo como um Fundo de Garantia – que não se tem no Brasil – além de vencimentos comparáveis a outras carreiras de Estado. O que o militar quer é salário decente, como a PF, o Judiciário,  e o Ministério Público. Assim poderá fazer, na ativa, o seu “pé de meia”, comprar o seu imóvel – em geral único – e, com esforço, bem educar os filhos. Na reserva, se o mercado de trabalho lhe for favorável, aproveitando sua sólida formação, conhecimento de Brasil e experiência profissional, poderá ter uma complementação salarial ainda necessária ou desejada.     
Vive-se um verdadeiro “frisson” com a previdência dos militares, quando a grande maioria dos que tratam do assunto, pertencentes à elite intelectual brasileira, não se detêm nas características únicas da carreira. Talvez seja a hora de de deixarem de lado o preconceito e entenderem que o braço forte do Brasil é mão amiga de cada brasileiro


Sede Central
Av. Rio Branco 251 - Centro
Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 3125-8383
Sede Lagoa
Rua Jardim Botânico 391 - Jrd. Botânico
Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2197-8888
Sede Cabo Frio
Av. dos Astros 291 - Praia do Foguete
Cabo Frio/RJ - Tel.: (22) 2643-3537

Slider by webdesign