ARTIGO / NOTÍCIA

selecionado.

Não foi uma miragem

Não foi uma miragem

Gen Ex Sergio Etchegoyen

Rio de Janeiro, 25 de março de 2021.

Gen Ex Sergio Etchegoyen*

 

Mais uma vez o STF sacode o Brasil com decisões que aprofundam a insegurança jurídica, criam vácuos legais que nenhum daqueles magistrados vai resolver, desestabilizam o universo político e obrigam o país a retroceder muitos passos no penoso esforço pela moralidade.

 

Uma canetada monocrática balança a Operação Lava-Jato, atropelando um júri singular e dois colegiados, e uma reação esperta, de saque rápido, piora ainda mais e enterra o único processo em toda a nossa história que levou poderosos ao xadrez.

 

É realmente desalentador, o Brasil foi literalmente assaltado no maior escândalo de corrupção de que se tem notícia no mundo, um vistoso e triste recorde: compraram partidos e parlamentares por um projeto de poder; conduziram a economia ao buraco da inflação e da maior recessão da nossa história; criaram 14 milhões de desempregados; reduziram a Petrobras a 10% do seu valor de mercado; dilapidaram os fundos de pensão; avançaram insaciáveis sobre os parcos contracheques dos idosos aposentados, sugando-os desavergonhadamente nos empréstimos consignados; encheram o país de programas caça níqueis, e muito mais.

 

Os valores gritam o quanto fomos miseravelmente roubados, já são 12 bilhões de reais recuperados! É preciso nunca esquecer estes valores. Cumpra-se toda a liturgia do devido processo, recorra-se quantas vezes for possível, mas esses números escancaram que tivemos uma tentativa de perpetuação no poder a partir do mais desavergonhado episódio de corrupção. Isso precisa ser fartamente divulgado para que nunca seja esquecido e para que os ingênuos um dia percebam o quanto foram usados.

 

Lembro as palavras de Eisenhower aos jornalistas que levou a Dachau assim que as tropas aliadas libertaram o macabro campo de concentração nazista: "fotografem e descrevam tudo o que veem neste inferno, pois não faltará no futuro quem negue tudo isso." Ele foi profético, o futuro chegou pela loucura de homens como Ahmadinejah. Por aqui, não tiveram sequer o constrangimento de dar tempo ao tempo. Lula é vítima, o PT é perseguido pela sanha da direita fascista, a OAB, pelo seu presidente, defende alegre a quadrilha.

 

Ora, "nunca antes neste país" tivemos um caso de corrupção tão escancaradamente comprovado e, ao mesmo tempo, com seus autores tão despudoradamente defendidos.

 

Juízes e promotores erraram? Que sejam julgados. O negócio é garantismo, ok, garantismo neles (aliás é interessante ver como os países mencionados como exemplos de garantismo tratam a questão da segunda instância).

 

A desfaçatez está de volta com a benção do STF, e se apresenta mais uma vez como alternativa eleitoral, nosso povo não pode ser engambelado outra vez pelo canto de uma sereia que não hesitará em avançar no seu bolso. Se a Justiça é tão incerta, a sentença do tribunal das urnas não permite recurso e chicanas, ainda, e é lá que essa porção organicamente corrupta da esquerda deve ser enxotada definitivamente da política, até mesmo para salvar a própria esquerda, aquela da boa fé e da honestidade de propósitos, e ela existe sim e é necessária numa democracia saudável.

 

Não, a corrupção não foi uma miragem!

 

*O Gen Ex Sérgio Etchegoyen é ex-ministro chefe do GSI no governo anterior.

Compartilhe esta página nas suas redes sociais:

Outros artigos/notícias

Comunicado
Comunicado
Gen Div Eduardo José Barbosa

Em cumprimento ao referido Decreto, para ter acesso ao Clube, será necessária a apresentação do comprovante de vacinação de todos os sócios, dependentes e convidados com idade acima de 16 anos.

 

Pensamento do Clube Militar
Pensamento do Clube Militar
Gen Div Veterano Clovis Purper Bandeira

Acossado por todos os lados, batido por fogos longínquos de Artilharia, incomodado por escaramuças e emboscadas ridículas, mas transformadas em crimes tenebrosos pelos menestréis e arautos que procuram disseminar a versão distorcida da realidade como se fosse a verdade, da qual consideram-se donos, o Guerreiro sentiu que estava perdendo a iniciativa e precisava agir. Mas tinha que ser uma ação que fosse impossível de negar, distorcer ou fraudar.

Resposta à coluna de um jornal moribundo
Resposta à coluna de um jornal moribundo
MAJOR-BRIGADEIRO JAIME RODRIGUES SANCHEZ

A imprensa tradicional parece estar chegando ao fundo do poço, e este não acaba no Japão, como imaginamos, mas na famigerada China “capimunista”.
Frequentemente, assistimos as viúvas da teta-mãe tentarem denegrir as Forças Armadas, na contramão das demonstrações de apreço e respeito a elas dispensados pela sociedade.